Servidores de Iguatu sofrem ataques do prefeito Ednaldo Lavor

Servidores de Iguatu sofrem ataques do prefeito Ednaldo Lavor

my-portfolio

PSTU Iguatu-CE A nova gestão do prefeito Ednaldo Lavor (PDT) esta jogando de forma truculenta a conta da crise para os servidores municipais de Iguatu...

Contra burguês vote nulo dessa vez: Segundo Turno em Fortaleza
Aumento do subsídio dos Vereadores de Iguatu-CE é barrado com luta
Nota do PSTU em defesa da democracia nos debates

PSTU Iguatu-CE

A nova gestão do prefeito Ednaldo Lavor (PDT) esta jogando de forma truculenta a conta da crise para os servidores municipais de Iguatu, no interior do Ceará. Com menos de dois meses do mandato, o prefeito com sua equipe já mostrou a que veio.

Já ocorreram inúmeras transferências arbitrárias inclusive com métodos de perseguição políticas acompanhadas de ameaças e assédio moral, chegou a ser necessária a intervenção do Ministério Público para mediar o problema. Várias ameaças de retiradas dos direitos que foram conquistado na greve como a GIP (gratificação por incetivo profissional), o não pagamento dos incentivos dos Agentes Comunitários de Edemias, cortes nas diárias de todos os motoristas em 50% (saindo de R$ 150 para apenas R$ 75, tornando Iguatu o município que paga a menor diária do estado) sem falar que as técnicas de enfermagem vão receber apenas R$ 30 de diárias (essas diárias são para as transferências à Fortaleza que fica a 450 km de Iguatu), ainda encontramos os casos de atrasos salariais dos funcionários da saúde e em especial a saúde mental e UPA. Alem de todos os ataques aos servidores o novo prefeito transferência do lixão de local, onde continua a céu aberto mas agora junto a um “braço do rio Trussu, um verdadeiro desrespeito com o meio ambiente.

O prefeito Ednaldo Lavor esta utilizando a desculpa de que o município se encontra em “estado de calamidade financeira” para contratar empresas e serviços sem licitações e beneficiar aqueles que são de sua base com os famosos “cabides de empregos” para beneficiar sua trupe e meia dúzia de empresários que financiaram sua campanha. Um exemplo vergonhoso foi o contrato de quase R$ 1,5 milhão à uma empresa de coleta de lixo por apenas 90 dias de serviços, com caminhões sem nem uma estrutura adequada e com péssimas condições para os funcionários da coleta.

O discurso da crise só serve para os servidores municipais. O prefeito Ednaldo teve a cara de pau de aumentar os salários dos seus secretários  e subsecretários em quase 50%.

Os servidores de Iguatu estiveram uma experiência importante em 2015, onde dobraram gestão anterior do prefeito Aderilo Alcântara (PSD), com uma grande GREVE municipal onde obtiveram muitas vitórias e principalmente conquistaram respeito. Somente as ações diretas das servidoras e servidores unidos através de uma grande greve é que vai barra os ataques do prefeito Ednaldo e sua trupe.

Os ataques que os servidores de Iguatu estão sofrendo fazem partes dos pacotes de maldades que vem sendo diferidos por Temer em todo Brasil. Em vários estados e municípios os governos deixam de pagar os servidores e cortam direitos, em contra partida pagam fielmente os juros da divida publica para os banqueiros e garantem isenções de impostos milionárias para grandes empresas.

Para barrar os ataques do prefeito Ednaldo Lavor é preciso unir todos os servidores municipais e a população em uma forte greve geral do funcionalismo publico com apoio ativo dos trabalhadores e do povo do município. Mas esse movimento precisa se somar ao chamado a construção de uma forte Greve Geral nacional que barre todos os ataques do governo Temer que está prejudica os trabalhadores do país inteiro. Por isso o PSTU chama a todas as representações sindicais e os Conselhos Populares que estão se formando no município para uma assembleia geral unificada com pauta única: greve contra os ataques da atual gestão.

Não podemos confia em governo ou patrão algum, eles só querem enriquecer com a nossa miséria. A unica forma de reverter essa situação é se os trabalhadores governarem através de conselhos populares, formados nos bairros e locais de trabalho.

Prefeito, em direitos não se mexe!

Abaixo as perseguições!

Greve geral, no interior e na capital!

Fora temer, fora todos os corruptos!

PSTU (partido socialista dos trabalhadores unificado )