Eunicio Oliveira emite parecer favoravel contra a saúde e a educação

Eunicio Oliveira emite parecer favoravel contra a saúde e a educação

my-portfolio

O Senador cearence Eunício Oliveira (PMDB) é o relator no Senado da PEC que limita os gastos sociais do Governo Federal por 20 anos. Eunício emitiu na...

Novo presidente do Senado, Eunício Oliveira, é eleito para continuar ataque aos trabalhadores
Contra burguês vote nulo dessa vez: Segundo Turno em Fortaleza
Terror em Fortaleza revela caos no sistema penitenciário e no combate a violência

O Senador cearence Eunício Oliveira (PMDB) é o relator no Senado da PEC que limita os gastos sociais do Governo Federal por 20 anos. Eunício emitiu na ultima terça-feira (01/11) um parecer favorável à aprovação da PEC alegando que a emenda servirá para “disciplinar” os gastos do governo.

O senador afirma em seu relatório que “a aprovação da matéria na Câmara dos Deputados significa que a maior parte da população brasileira já é favorável à matéria. Assim, o Senado Federal não deve adiar o inicio da produção dos efeitos do novo regime fiscal”. Isso é na verdade uma piada de muito mal gosto. Uma recente pesquisa do Instituto VoxPopuli atestou que 70% dos brasileiros rejeitam a PEC e seu ataque ao povo brasileiro.

A PEC foi aprovada com facilidade em dois turnos na Câmara de Deputados e será votada também em dois turnos no Senado Federal, agora com o parecer favorável de Eunício Oliveira. Essa é uma prova concreta de que esse Congresso Nacional não serve aos interesses dos trabalhadores brasileiros.

Os responsáveis por dizer quanto do orçamento nacional será gasto com saúde e educação são homens ricos que só se importam com seus interesses. Eunício Oliveira, por exemplo é uma grande empresário citado em vários casos recentes de corrupção e beneficiamento ilícito pela sua posição como senador. Como o caso em que é acusado de receber R$ 5 milhões em caixa dois da Hypermarcas, ou de estar entre os senadores beneficiados pelos R$ 40 milhões da JBS, ou ainda dos  quase R$ 1 bilhão em contratos que a empresa do senador fechou com a Petrobras entre 2007 e 2011, sendo R$ 57 milhões sem licitação.

Não é possível depositar nenhuma confiança nos governantes que estão do lado dos ricos. A única saída que temos é lutar para barrar os ataques e para botar pra fora todos os políticos que governam para os patrões e contra os trabalhadores. Para barrar a PEC que limita os gastos sociais e os outros ataques do Temer, como a reforma da previdência e Trabalhista é necessário construir uma  Greve Geral que pare o país e que demonstre a insatisfação e a força da classe trabalhadora brasileira.