Chega de desemprego e aumento dos preços

Chega de desemprego e aumento dos preços

my-portfolio

Francisco Gonzaga, presidente Estadual do PSTU Ceará   Fortaleza está virando uma cidade de desempregados. Na região metropolitana mais de 230 mi...

Editorial: Vamos preparar a Greve Geral!
Terror em Fortaleza revela caos no sistema penitenciário e no combate a violência
Para combater o aumento dos preços é preciso enfrentar os ricos

Francisco Gonzaga, presidente Estadual do PSTU Ceará

 

Fortaleza está virando uma cidade de desempregados. Na região metropolitana mais de 230 mil pais e mães de família estão sem o ganha pão, nas obras da construção civil estão voltando as filas de trabalhadores que não conseguem serviço. Os patrões e seus representantes nos governos colocam a culpa na crise. Mas isso é só conversa fiada.

No meio dessa crise os governos de Temer, Camilo e Roberto Claudio fazem de tudo para livrar os patrões dos seus efeitos negativos e descarregar o peso nas costas dos trabalhadores. Eles governam para os ricos e nos deixam na miséria.

A situação não está fácil, quem ainda tem um salário não tem nem o suficiente pra pagar as contas porque o governo e a prefeitura aumentaram as tarifas de agua, luz, ônibus, IPTU e a cesta básica em nossa cidade é uma das mais caras do Brasil. Para as mulheres e os jovens a situação é ainda pior porque enfrentam maiores taxas de desemprego, recebem menos e ocupam os piores postos de trabalho.

Por outro lado os empresário recebem muitos benefícios do governo de Camilo (PT) e da prefeitura de Roberto Claudio (PDT). Eles isentam os ricos de vários impostos, entre eles o IPTU, que para os trabalhadores teve um aumento de 10,71% esse ano. Muitos empresários não pagam impostos sobre os serviços prestados e sobre as mercadorias produzidas e recebem muitas outras regalias. Alem disso, muitas grandes empresas montam verdadeiros esquemas criminosos para sonegar impostos o que causa um rombo de centenas de milhões de reais nos cofres públicos.

É preciso acabar com a farra dos empresários. O PSTU defende a suspensão imediata de todas as isenções fiscais para grandes empresas e a cobrança de suas dívidas. Com esse dinheiro iniciaremos um plano de obras públicas para construir moradias populares, creches, escolas e postos de saúde nas comunidades, gerando emprego e melhorando as condições dos serviços públicos para os trabalhadores que moram nas periferias.

É necessário um plano emergência de distribuição de cestas básicas para os desempregados e a redução imediata da passagem de ônibus e das tarifas de agua, luz, energia e IPTU. Os que não tiverem emprego devem ser isentos de todas essas taxas porque é responsabilidade dos governos amparar os desempregados.

Dilma e agora Temer estão realizando vários ataques contra os direitos trabalhistas. Entre eles o seguro desemprego. Nesse momento em que o número de demissões aumenta no país isso é um verdadeiro crime contra os trabalhadores. O PSTU defende a mobilização dos trabalhadores através de uma Greve Geral para exigir a ampliação do seguro desemprego e a redução da carga horária de trabalho sem redução de salários para gerar mais empregos.

Nós precisamos botar pra fora todos esses políticos que governam para os ricos e construir um governo dos trabalhadores, sem nenhum patrão, porque não adianta mudar a prefeitura e manter na presidência o Temer e esse congresso de corruptos desempregando e arrancando nossos direitos ou o governo do estado acabando com a nossa saúde e educação e criminalizando quem luta.

Venha com o PSTU, nas eleições e nas lutas, construir uma Fortaleza e um Brasil para os trabalhadores.